Versinhos de 
Bem-Querer

Em março de 2020, no  início da pandemia do COVID 19 no Brasil, a Tingui lançou o projeto Versinhos de Bem-Querer - uma ação emergencial  que tinha como intuito, num primeiro momento, levantar fundos para ajudar a mitigar os efeitos da pandemia junto a oito comunidades rurais no Vale do Jequitinhonha. Além de arrecadar recursos, o projeto tinha como proposta levar a cultura dos versos cantados do Vale para todo o Brasil, espalhando bem-querer e poesia em um momento tão difícil da vida das pessoas.

O projeto Versinhos de Bem-Querer foi premiado na categoria Ajuda Humanitária do "Empreendedor Social do Ano - Resposta ao COVID-19", junto a outros 9 projetos inovadores que também atuaram no âmbito da pandemia no Brasil. Além da escolha do projeto, Viviane Fortes e Elisângela Pedroso, ambas diretoras da Tingui,  foram contempladas com o prêmio "Empreendedor Social do Ano".

Como Funciona

As pessoas podem comprar um versinho pelo site do projeto, por apenas 26 reais. Uma jogadora de versos do Vale do Jequitinhonha irá então gravar o versinho cantado, que será enviado por WhatsApp para o comprador. Ao receber, a pessoa poderá em seguida presentear quem ela quer bem com o versinho personalizado.

Visite o site do projeto: www.versinhos.com.br

Alguns resultados
do projeto

  • Em 7 meses, mais de 1.500 mil versinhos foram encomendados, levando a poesia e a delicadeza da cultura do Vale do Jequitinhonha para todo o Brasil.

  • O projeto foi eleito uma das TOP 30 iniciativas no enfrentamento da epidemia do COVID-19 no Brasil, garantindo o prêmio de Empreendedor Social do Ano em resposta à Covid-19 às coordenadoras de projetos da TINGUI Viviane Fortes e Elisângela Pedroso.

  • Mais de 25 matérias foram produzidas na mídia nacional sobre o projeto. 

Através do projeto, a TINGUI pôde arrecadar 115 mil reais, que foram distribuídos da seguinte maneira:

  • 20% do valor total foram repassados para as oitos comunidades rurais , a saber: 

    • Tocoiós e São João de Baixo, no município de Francisco Badaró

    • Curtume e Ribeirão de Areia, no município de Jenipapo de Minas

    • Poções, Moça Santa, Alves e São João dos Marques, no município de Chapada do Norte.

  • 35% do valor total foram investidos em projetos de geração de renda: formação online para o plantio do algodão agroecológico, inclusão do grupo Mulheres da Ponte no projeto Mulheres do Jequitinhonha, desenvolvimento de uma coleção de peças com as Tecelãs de Tocoiós, entre outros.

  • 10% foram usados para remunerar as jogadoras de verso pelo trabalho de cantar os versinhos para o projeto.

  • 26% foram destinados a arcar com os custos do próprio projeto.

  • 8% é o fundo de reserva que temos guardado caso as famílias precisem de apoio durante a epidemia (compra de remédios, transporte para hospital etc.)

IMG_0860 (1).jpg

Foto: Rinaldo Martinucci